Criaturas da noite, de Lázaro Covadlo

Título
Criaturas da noite

Design
Pedro Marques

Autor
Lázaro Covadlo

Edição
Livros de Areia Editores, 2007

Dimensões
e Impressão
190 x 130 mm, 176 páginas
Publidisa


Descrição

Certa noite, durante o ano de 1819, o poeta e pintor William Blake (1757-1827), participando numa séance de “espiritismo” em casa do seu amigo e astrólogo John Varley, teve mais uma das suas inúmeras visões, uma dessas “cabeças visionárias” que, dizia, o visitavam, e da qual pronto esboçou os contornos num papel. Essa terá sido a génese do pequeno (24 x 16 cm) painel pintado a têmpera e com aplicações de folha de ouro sobre tábua de mogno, e que hoje se conhece como The Ghost of a Flea (Prova A).

Prova A

Com o quadro de Henry Fuseli The Nightmare, de 1781 (que cheguei a considerar usar na capa deste livro), a Pulga de Blake é uma das mais antigas e duradouras tentativas de quebrar o cânone neo-clássico na representação pictórica (apesar das suas óbvias dependências da estética anatómica de Miguel Ângelo), tendo-se tornado num das referências visuais do Primeiro Romantismo.
Quando me deparei com a tarefa de criar uma imagem que pudesse traduzir o texto de Covadlo (essa estranhíssima e muito divertida aventura de uma pulga milenar, vinda da noite dos tempos, que passara pelos ouvidos das mais diversas e pouco recomendáveis personalidades, entre as quais se contara a Condessa Vermelha, Erzsébet Bathory, e que agora se alojava no pavilhão auricular de um pobre coitado), o quadro de Blake pareceu-me incontornável. Com as devidas adaptações (dada a deterioração dos materiais, ele está hoje muito escurecido e não encontrei nenhuma reprodução com qualidade suficiente para o usar tal como está), essa bizarra figura – um híbrido entre um David classicizante e uma libidinosa entidade Pânica – tinha lugar marcado nesta capa. A pulga de Covadlo, é certo, é mais loquaz do que física, mas lá estava a língua da criatura de Blake (tornada mais cómica pela ausência do seu contexto original: a proximidade de uma “bowl of blood”…) para representar essa tagarelice impertinente. E como não ver no corpo grego e canónico deformado pelo desejo a tradução perfeita desta pulga louca por sensações que só um mamífero altamente sexualizado como o Homem pode dar-lhe?
Dado este ponto de partida, quis uma capa mais divertida e mais límpida do que a fonte pictórica poderia deixar prever: a pulga sairia de uma forma quase fársica, como um fantoche do seu esconderijo (com uma erupção de “fumo cénico” feita a partir da rotação de um desenho do pavilhão auricular retirado de um manual de medicina do século XIX), uma figura poderosa e decidida mas limitada espacialmente, com pouca área de acção, quase uma inofensiva figura de anime, um desses monstros que lutam em duelos sem consequências de maior em séries como Dragon Ball. Um delicado dedo ergue o topo da cabeça do seu hospedeiro, recurso cómico que achei que se adaptava perfeitamente ao desenho original da personagem de Blake.
Dionísio Kauffman, o hospedeiro involuntário da pulga, é aqui “representado” de forma quase anónima pela imagem de uma cabeça masculina vista por trás: Kauffman é o homem comum, o little man. A sua passividade (centrado no eixo vertical, perfeitamente simétrico) contrasta com e acentua a determinação e dinamismo da pulga (compensando com um S “praxitélico” o desequilíbrio da sua composição oblíqua), que se torna (ou tenta tornar-se) na sua “nova consciência”.
Em fundo, muito velada, e de modo a fornecer apenas uma textura visual, está outra pulga ancestral, a que Robert Hooke desenhou no seu Micrographia de 1665.

Nota: esta capa foi seleccionada recentemente para a exposição internacional de design de capas de livros Gateways, com apoio da Fundação de Serralves e a curadoria do designer Andrew Howard, a ter lugar no Espaço Cultural Silo, do Norteshopping. Eis a memória descritiva que apresentei:
“Creatures of the night” is the story of a tiny, centuries-old flea, which hides itself inside the ear of a hapless and unsuccessful man, telling him (with what sounds like an inner voice, a sort of twisted consciousness) what to do to get rich and poweful, but also demanding that he provides it with every conceivable sensuous human experience. I remembered the now famous painting by William Blake “The Ghost of a Flea” (1819), which provided the ideal focal point of the cover, with its bold, aggressive and libidinous stance, and I adapted it to the more comical content of the book, making it appear to be lifting the man’s head with one delicate finger, coming out of it with un urgency that contrasts with the man’s passive pose. The other graphic elements are a royalty-free photo of a man’s head (taken from the StockXchange photo library), the drawing of an ear drum from a XIXth century medical book (used both in a descriptive way and in more expressive one, just by rotating it, providing a smoky, theatrical halo to the flea’s entrance) and, in the background, almost faded, the drawing of a flea from Robert Hooke’s “Micrographia” (1665).

2 Comments

Filed under Capas, Da casa

2 responses to “Criaturas da noite, de Lázaro Covadlo

  1. Parabéns, Pedro, uma vez mais.

    Já agora, sabes se haverá catálogo da exposição? Foi pena andar tão distraído e não ter sabido do Gateways mais cedo… fica para uma próxima oportunidade.

    Também participaste nos prémios Booktailors | LER? Eu quis, mas o patrão não autorizou.

    Abraço

  2. pedromarquesdg

    Olá, Ilídio! Obrigado pela visita.

    Eu descobri isto pelo Ressabiator, o blogue do Mário Moura, que tem uma coluna de COISAS AVULSAS muito actualizada, e quando descobri que o A. Howard estava envolvido, decidi que valia a pena.

    Quanto aos Prémio LER, enviámos alguns livros dentro das categorias de Capa de Literatura e Projecto Gráfico Não-Ficção.

    Não me esqueci do teu convite para a Callema.

    Um abraço!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s