The Learners, de Chip Kidd


Título
The Learners

Design
Chip Kidd

Autor
Chip Kidd

Edição
Scribner, 2007
195 x 135 mm, 258 páginas

Descrição

Chip Kidd tornou-se, de há 10 anos a esta parte, o equivalente ao que Paul Rand fora nos anos de 1940 e 1950 e Milton Glaser nas duas décadas seguintes: não apenas uma “superstar” no firmamento do design gráfico americano, mas o criador de um novo cânone e, inevitavelmente, uma referência sine qua non para toda a prática contemporânea do seu labor e, sem dúvida, para a que se lhe seguirá. E com tal peso se sente hoje a sua bitola estética que a Time o incluiu na lista das 100 pessoas mais influentes de 2008, fazendo notar que “em breve, ele representará a ortodoxia contra a qual um novo Kidd [um trocadilho que poderia ter sido escrito pelo próprio CK] se rebelará”.

O que é curioso no caso de Kidd é que a sua fama derivou de um trabalho numa área até então pouco propícia ao estrelato no design (Rand e Glaser, por exemplo, ficaram famosos mais pelos seus trabalhos em cartazes, na imagem corporativa ou no design de imprensa do que pelas capas dos livros que fizeram), e, o que é ainda mais curioso, trabalhando quase em exclusividade para uma editora, a Knopf. Goste-se ou não do seu portfolio com mais de 20 anos, é inegável que se trata de um feito raro.

Confesso que não sou dos que põem a mão no fogo pelo trabalho de Kidd, parecendo-me um designer algo inconstante ainda que nitidamente pleno de recursos, conseguindo capas de grande efeito com um leque muito alargado de técnicas (adoro, por exemplo, o seu uso de imagens de arquivo, sobretudo as da cultura pulp e pop dos anos 1950 e 1960) e, por vezes, obtendo imagens inesquecíveis: uma das imagens mais ubíquas dos últimos 15 anos – a silhueta da ossada de um T-Rex para a capa de Jurassic Park de Michael Crichton – saiu das suas mãos, sendo um caso único em que o design da capa de um livro influenciou a imagem de marca do blockbuster nele baseado. Folhear monografias como, por exemplo, o Chip Kidd de Véronique Vienne é sempre, no pior dos casos, se não uma inspiração permanente, pelo menos uma fonte de sólido prazer visual.

The Learners é o primeiro contacto que tenho com esta nova faceta de Kidd (não li The Cheese Monkeys, o livro de que este é a continuação), e tenho de confessar que a sua escrita me surpreendeu pela vivacidade nos diálogos e a lenta criação de um ambiente sinistro através de imagens de “postal” dos últimos anos da inocência americana, os da presidência de JFK. A audácia de colocar no centro da narrativa um óbvio alter ego seu (Happy, um estagiário numa agência de publicidade no Connecticut em 1961) é compensada pela total credibilidade com que Kidd descreve o meio e a era em termos estéticos, e a quase inocente crença do seu “herói” no valor salvífico do “bom” design gráfico. A história contar-se ia certamente num conto apenas, mas é de louvar a confiança de Kidd em conseguir manter o interesse na leitura apenas através do seu estilo meticuloso nas descrições e diálogos.

Na capa, Kidd procurou, com modéstia (apesar de os seus detractores o dizerem incapaz de tal), eclipsar-se face às colaboraçóes de Charles Burns (na ilustração de capa e contra-capa) e Chris Ware (que desenhou o “logo” do título): terá sido uma forma de marcar a sua pertença à geração de designers e ilustradores que, na década de 1990, renovou a cena, associando-se a dois nomes com quem já trabalhara e que nitidamente admira (sobretudo Ware). Ainda assim, o seu toque nota-se, da complexa sobre-capa ao arranjo do texto nas páginas introdutórias. Os materiais não são luxuosos (a Scribner não terá o mesmo orçamento da Knopf), e além do jogo visual da sobre-capa com os olhos da personagem na capa, pouco mais há de “táctil” do que o contraste entre a plastificação brilhante desta e a mate daquela. A sobre-capa pode, aliás, tornar-se algo aborrecida no acto de leitura (badanas um tudo nada maiores teriam resolvido a questão), e, no interior, o uso da Bodoni em corpo no limite da legibilidade é “corajoso”. (Veja-se, neste blogue, o post em que se pode apreciar o manuseio de um exemplar do livro). Apesar de Kidd ter escrito o livro directamente no Quark (daí, talvez, algumas gralhas que escaparam na edição que possuo), The Learners não é uma exibição tipográfica por parte do autor, aproximando-se dela unicamente quando isso serve à caracterização de Happy, um jovem ansioso por mostrar erudição e destreza na tipografia, e aí Kidd é brilhante: mesmo em face de uma máquina que aplica descargas eléctricas a alguém noutra sala, o nosso “herói” critica mentalmente a má composição do texto dos comandos. A cruel dialéctica Forma-Conteúdo, de que este romance é uma curiosa reflexão, terá em Happy a sua nova vítima.

Kidd tem-se desdobrado em manobras de marketing na promoção de The Learners, levando o difícil estatuto do designer-como-estrela (numa profissão que sempre apontou à segurança do quase anonimato como regra) a novos níveis, sobretudo nos EUA. E temos de reconhecer que estamos perante um talento histriónico único e uma verdadeira “voz” (Prova A), voz à qual a música se junta também, no projecto Artbreak (Prova B).

(Prova A).

(Prova B).

Como escreveu Rick Poynor, num editorial veladamente crítico no número de Primavera da Eye, “eis uma estrela do design gráfico tentando tudo por uma chance de genuíno estrelato. Pode muito bem conseguí-lo”. Se estrelato implica um talento multidisciplinar, uma capacidade de auto-promoção ímpar e a habilidade em contar-nos uma excelente história, unindo Conteúdo e Forma num todo que diverte e, ao mesmo tempo, reflecte sobre as suas limitações, então Kidd conseguiu-o já.

1 Comment

Filed under Capas

One response to “The Learners, de Chip Kidd

  1. Pingback: Design gráfico na ficção: o caso de Deliverance de James Dickey | Montag : by their covers : resgate do fogo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s