Censura e auto-censura

Aviso à navegação dos designers gráficos portugueses: a reprodução, total ou parcial, do quadro em baixo (no pun intended) pode dar mau resultado (sugere-se cropping inspirado e tipografia estrategicamente colocada em caixa alta e corpo extra black).

courbet

Braga, 23 Fev (Lusa) – A PSP de Braga apreendeu, hoje numa feira de livros de saldo, alguns exemplares de um livro sobre pintura considerando que o quadro reproduzido na capa, do pintor Gustave Courbet, é pornográfico, disse fonte da empresa livreira.
António Lopes adiantou que os três agentes policiais elaboraram um auto no qual afirmam terem apreendido os livros por terem imagens pornográficas expostas publicamente.
O quadro do pintor oitocentista – tido como fundador do realismo em pintura – expõe as coxas e o sexo de uma mulher, sendo, por isso
[sic], a sua obra mais conhecida.
(in Jornal de Notícias, 23.02.2008)

Que eu saiba, a obra “mais conhecida” de Courbet será o Enterro em Ornans de 1849/50, quadro máximo da escola Realista, junto com um ou dois auto-retratos. A Origem do Mundo, de 1866, “expõe”, de facto, “as coxas e o sexo de uma mulher”, mas, “por isso”, terá conseguido apenas estar escondido durante décadas, sendo apenas revelado publicamente no final do século XX. Seria importante, já agora, saber que livro tinha na capa a reprodução do quadro de Courbet. A censura nasce também da ignorância de quem a reporta.

E, a propos, esta pérola encontrada em Under Cover (Thomas Bonn, 1981 – leia-se a recensão na página da Biblioteca deste blogue):

“Perhaps paperback publishing’s most bizarre instance of self-censorship ocurred in Great Britain. Allen Lane, Penguin founder, was ‘particularly affronted’ by a book his company published. With a friend he staged a midnight raid on his own warehouse. After breaking in, he loaded the offending books on a truck and carried them to his farm some miles away, where they were immediately burned.”

Exporia a capa do livro “ofensivo” alguma reprodução de Courbet?

Addendum: os exemplares apreendidos são da edição da Teorema de 2003 de Pornocracia, de Catherine Breillat, com capa, presumo, de Fernando Mateus.

2 Comments

Filed under Imprensa, Livros, Soltas

2 responses to “Censura e auto-censura

  1. Olá Pedro. Sorry mas essa capa não é minha e não sei quem a terá feito, mas posso investigar ;-)
    Abraço.

  2. Já comentei na tua outra notícia (a minha memória já não é o que era) e tens razão, fui eu mesmo que fiz essa capa em Março de 2003.
    Aqui fica a correcção.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s