Telegrama da Experimenta

START — Domingo à tarde, sob intensa canícula, duas visitas a outros tantos pontos no mapa da Experimenta’09 em Lisboa. — STOP — Museu Berardo continua a marcar pontos, em detrimento do MUDE (deve ter sido esse o masterplan…) — STOP — Quick, Quick, Slow peca talvez por excesso de conceptualização teórica na base para esconder um simples e meritório propósito: mostrar alguns objectos incontornáveis do(s) Modernismo(s) de novecentos. — STOP — As revistas desenhadas por Piet Zwart: o overprint explicado às massas, ou o Modernismo como devia ser: didáctico, funcional e muito excitante visualmente. — STOP — As Typographica de Herbert Spencer (e agora sei porque são tão valiosas no mercado). — STOP — Uma sombra de Rodchenko e Lissitsky, a fazer lembrar a grande exposição dedicada a este há 10 anos em Serralves, quando Serralves ainda olhava para o design gráfico com respeito. — STOP — OK, percebemos a ligação dos cartazes de corridas de automóveis de Max Huber ao conceito, mas, apesar do seu impacto, talvez seja Max Huber a mais. — STOP — A sala Helvetica: bela sequência de cartazes unicamente tipográficos de Muller-Brockman (mas sem o Schutz das Kind! de 1953, talvez o cartaz mais cinético de toda a produção suíça). — STOP — De Quentin Fiore (um designer estranhamente esquecido, se descontarmos o texto da dupla Lupton & Miller nessa obra-prima que foi o Design Writing Research) podia ter havido o esforço de mostrar algo mais raro do que o paperback da Bantam do Medium: o número da Aspen desenhado por ele e todo dedicado à obra de McLuhan. — STOP — Um fabuloso cartaz de Tschichold dos seus dias de neue typographie (só uma sala com exemplos da carreira dele já dava uma excelente aplicação dos princípios conceptuais desta exposição) — STOP — Palácio Brancaamp difícil de encontrar (não, não fica na Brancaamp ao Rato…) — STOP — Livraria pouco abonada, bar com preços absurdos. — STOP — “O que é urgente ver”, a exposição comissariada por José Bártolo, está numa salinha difícil de suportar no pico do calor da tarde (alcatifa, portadas das janelas fechadas), mas vale a pena como espaço de alguma intimidade com os cartazes. — STOP — Muito design de produto (por força dos sponsors certamente…), como se design fosse sinónimo de produto, mas o design gráfico em mostra é imperdível. — STOP — A continuar em Outubro. — END

Leave a comment

Filed under Eventos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s