“A casa de Asterion em Powis Square”


O que liga este livro, a primeira edição em Inglaterra (pela Jonathan Cape em 1968) da “Antologia Pessoal” de Jorge Luis Borges, a um dos mais originais e brutais filmes de finais dos anos 60? A obsessão de Donald Cammell, o co-realizador de Performance (1970), por Borges e por esta edição, que por lá aparece em abundância. Uma obsessão com um final inesperado quando, em 1996, Cammell pôs fim a uma carreira falhada no cinema com um tiro na cabeça, após o qual ainda pôde perguntar à sua mulher: “vês a imagem de Borges?” Conto a história e junto as pontas soltas num texto no Clubalice chamado “A casa de Asterion em Powis Square”, que pode ser lido aqui.

1 Comment

Filed under Da casa, Imprensa, Livros

One response to ““A casa de Asterion em Powis Square”

  1. Pingback: O infame Jorge Luis Borges | Montag : by their covers : resgate do fogo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s