Arquivo cubano

Descoberto ao acaso, o arquivo online de Anna Veltfort (com o nome de El Archivo de Connie) é um pequeno mas valioso manancial de exemplos da “gráfica” cubana, com especial incidência nos anos 60 e 70. Neste arquivo, a descoberta mais valiosa terá sido uma série de scans da revista Diseño, de 1970, com artigos detalhados sobre a produção de cartazes em Cuba, por essa altura já um fenónomo gráfico a nível mundial, com exposições internacionais (nesse ano, no Stedelijk de Amesterdão) e monografias (nesse ano também, a que foi editada por Dougald Stermer nos EUA, com uma introdução de Susan Sontag). Particularmente interessante é o número 3, que conta com um texto de Edmundo Desnoes (autor do clássico Memórias del Subdesarollo, cuja adaptação ao cinema em 1968 por Tomás Gutierrez Alea foi um dos filmes-chave do novo cinema latino-americano dos anos 60) comparando as escolas polaca e cubana de cartazes, e com pequenos depoimentos de cartazista polacos como Wiktor Gorka, Waldemar Swierzy ou Bronislaw Zelek. Nos outros dois números disponíveis (1 e 2), encontram-se textos de cartazistas cubanos, como Ñiko ou Faustino Perez, e mesmo um depoimento dos três cartazistas polacos (que se tinham deslocado à ilha) sobre o estado da produção de cartazes em cuba. Um tesouro.

São também de assinalar as capas (e alguns scans do interior) da revista Casa, publicada pela “Casa de las Américas” de Havana. Para além dos cartazes, na altura o verdadeiro eixo da produção pictórica na ilha e uma ponte de ligação ao mundo exterior (no início dos anos 70, o cartaz cubano é já incluído nas histórias dessa forma de expressão gráfica que vão sendo publicadas no Ocidente, como, por exemplo, a Concise History de John Barnicoat para a Thames & Hudson), para além deles, dizia, é notória uma grande qualidade gráfica na área editorial (o caso da Casa de las Américas é significativo, pois publicava revistas e livros) e, em geral, um contínuo aggiornamento e, sobretudo, uma cultura de diversidade estilística muito próxima do universo norte-americano, apesar da conjuntura política. Era interessante poder saber se os cartazistas (e quais) produziam também as capas destes livros ou revistas, ou se as áreas seriam mais estanques. Estas duas capas (e contra-capas) da Casa, de 1968 e 1970, são de Umberto Peña.

A CUBAN ARCHIVE
Found by chance, this online archive by Anna Veltfort (El Archivo de Connie) is a surprising and valuable source of graphic material from Cuba in the 1960s and 70s. Not just the ubiquitous Cuban posters, but also books, record covers and magazines, such as Diseño (a magazine on graphic arts, and quite specifically on poster design), in which scans (provided in PDF) we can read about the production of posters in Cuba and the opinion of three of the best Polish poster designers (Gorka, Swierzy and Zelek) – who had been invited to the island – on Cuban and their own personal and national poster production. Even more valuable are rare statements from Ñiko and Faustino Perez, two Cuban gráficos. Included are also interesting texts by Edmundo Desnoes, whose novel Memories of Underdevelopment was filmed in 1968 by Tomás Gutierrez Alea, one of the seminal films of the “New Latin-American Cinema” of the 1960s.
Also included in this marvellous little archive are scans of Casa magazine, published by Casa de las Americas. These covers, from 1968 and 1970, are by Umberto Peña.

Leave a comment

Filed under Cartazes, Revistas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s